Audiência Pública sobre as 30 horas semanais acontecerá no próximo dia 8 no Senado

CFP e Fenapsi se reuniram com o Senador Paulo Paim (PT-RS) nesta segunda-feira (15)

Na manhã desta segunda-feira (15), o Conselho Federal de Psicologia (CFP) e a Federação Nacional da Psicologia (Fenapsi) deram um importante passo no debate pelas 30 horas semanais de jornada de trabalho para @ profissional da psicologia.

Em audiência com o Senador Paulo Paim, Miraci Austun e Cleo Dorneles, ambas do CFP, e Fernanda Magano, vice-presidenta da Fenapsi e presidenta do SinPsi debateram o PLS 511/2017 e a inclusão do artigo 14-A na lei 4119/1962 para dispor sobre a jornada de 30 horas.

” Esse PL é fundamental para garantir a equidade de tratamento aos profissionais psicólogas e psicólogos em seus locais de trabalho, em especial nas atividades na área da saúde e assistência social. Essa audiência pública na comissão de assuntos econômicos junto com Senador Paim será fundamental para acrescentarmos argumentos na defesa deste direito”, disse Fernanda

Já para Shirlene Queiroz, presidenta da Fenapsi, aponta que é preciso mobilização da militância pelo Brasil para que haja a aprovação. ” A jornada máxima de 30 horas semanais tem sido uma das pautas principais da categoria. Lutamos muito com o PL 3338/2008, que infelizmente foi vetado, mas agora é  necessário  redobrarmos a nossa esperança e militância para que a categoria seja atendida. Que a audiência proposta pelo senador Paulo Paim nos ajude a mobilizar outros parlamentares”.

Paim é relator do PLS na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Está marcada para o próximo dia 8 de novembro, às 9h, a audiência pública acerca das 30 horas. A reunião será na Comissão de Direitos Humanos do Senador e contará com a participação do CFP, Fanapsi, Ministério da Saúde, COnselho Nacional da Saúde (CNS), Associação Nacional dos Hospitais Privados (ANAP) e Federação Brasileira dos Hospitais (FBH). A audiência terá transmissão ao vivo via Youtube e as pessoas poderão participar de seu debate pelo portal E-Cidadania clicando aqui.

Fonte: Fenapsi / com informações de SinPsi SP