Dia da Visibilidade Lésbica: Fenapsi cobra mais respeito, dignidade e direitos para as mulheres lésbicas

29 de agosto é Dia Nacional da Visiblidade Lésbica. Para a Fenapsi, é momento de resistência e de luta, sobretudo diante de uma agenda política retrógrada, que ressuscitou o projeto da “cura gay”, que tramita, atualmente na Comissão de Seguridade Social e Família, como PL 4931/2016, visando acabar com a punição do profissional de saúde mental que tratar o paciente com “transtorno de orientação sexual”.

“Um verdadeiro retrocesso a toda luta travada pela Psicologia brasileira para fazer valer a regulamentação do Conselho Federal de Psicologia 001/1999, que orienta as psicólogas e os psicólogos  a não colaborarem ‘com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades’.  Temos de fazer mais esse enfrentamento, acompanhando a tramitação do projeto para evitar que as comissões de Seguridade Social e de Constituição e Justiça aprovem a proposta, pois ela não precisa nem ir ao plenário, basta ser aprovada pelos dois colegiados”, ressalta a direção da Fenapsi.

A diretoria da Federação lembra, ainda, que a luta das mulheres lésbicas pela visbilidade tem peculiaridades em relação à própria população LGBT. Afinal, uma  sociedade extremamente machista, misógena e sexista torna ainda mais complexa para a mulher afirmar sua orientação sexual, como homossexual ou mesmo bissexual. Quantas mulheres lésbicas não ouvem – de próprias mulheres, inclusive: “Se você não gosta de homem é porque nenhum te pegou direito”. Um argumento que os homens gays não costumam ouvir. Afinal a sociedade pensa no pênis como o centro do universo. Há, inclusive, um termo para isso: falocentrismo. Jamais faça esse tipo de colocação diante de uma lésbica.

Mais respeito, dignidade e visibilidade às mulheres lésbicas.

29 de agosto. O Dia da Visibilidade Lésbica é celebrado em 29 de agosto em razão da realização do 1º Seminário Nacional de Lésbicas (Senale), ocorrido nessa data em 1996.