Grito dos excluídos foi realizado em Campo Grande e Dourados com o tema “Desigualdade gera violência, basta de privilégios!”

Homenagem à Maria Ildonei marcou a manifestação na capital

Hoje, 7 de setembro de 2018, saímos mais uma vez às ruas de todo o país. O 24º Grito dos Excluídos vem denunciar que a independência não está completa. Que faltam direitos aos à grande maioria do povo brasileiro, excluídos da dignidade e da justiça social. Com a mensagem “vida em primeiro lugar, desigualdade gera violência, basta de privilégios”, os atos contra desigualdade, a violência e os privilégios aconteceram em todas as regiões do Brasil na luta por vida digna.

Em Campo Grande, o Grito dos Excluídos reuniu centenas de pessoas que saíram às ruas do centro da cidade para protestar por direitos sociais, contra a reforma trabalhista e da previdência, contra a venda das estatais brasileiras, em defesa da reforma agrária, entre outras reivindicações.

Diversos movimentos sociais e setores ligados à igreja católica participaram do evento, com destaque para os sindicatos e federações CUTistas que marcaram presença. 

“Fizemos hoje nosso 24 grito dos excluídos onde pudemos dizer para o povo que não aceitamos a violência e as desigualdades sociais, reforçamos nas ruas nossa firme defesa contra a reitrada de direitos da classe trabalhadora, produzida pelo governo ilegítimo do Michel Temer e seus aliados do Congresso Nacional”, disse Genilson Duarte, Presidente da CUT-MS.

Sueli Veiga, Presidenta em exercício da FETEMS afirmou, “fizemos uma bela homenagem à Maria Ildonei e nos mantivemos firmes na manifestação, mesmo quando apareceram os bolsominions que tentaram prejudicar nosso protesto, logo depois eles foram embora e nós ficamos!”.  

Maria Ildonei Lima Presente!

O ato foi marcado pela homenagem à professora e dirigente sindical, Maria Ildonei, que foi encontrada sem vida em sua residência no último sábado (31 de agosto) em Campo Grande.

As lideranças sociais Manifestantes estavam consternados com a violência deste ataque à professora aposentada, que era muita querida pela sua categoria e também pelo movimento sindical.

A homenagem à Maria Ildonei destacou a frase, “A morte consegue roubar a presença dos que amamos, mas das lembranças que ficam nem ela pode nos separar”.

Dourados

O Grito dos Excluídos também aconteceu na cidade de Dourados, distante à 230 km de Campo Grande.

Manifestantes denunciaram o golpe político de Michel Temer e cia, denunciou as ações que buscam privatizar as empresas públicas brasileiras e pediu para a população não votar em Deputados/as que votaram a favor da Reforma Trabalhista.

Conflito

Em Campo Grande foram registradas cenas tensão entre manifestantes do Grito dos Excluídos e apoiadores do candidato Jair Bolsonaro, que foram acompanhadas de perto pela polícia militar, não houve agressão física registrada. Sindicalistas responderam am alto em bom som que defendem LulaLivre, Lula Inocente, Lula Presidente.