Sintss-MS realiza Ato Ecumênico em memória de Vilma Lima

Na manhã desta terça-feira (12) a direção do SINTSS-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de Mato Grosso dDSC_5576o Sul) realizou, em frente ao saguão do Hospital Regional de Campo Grande, um Ato Ecumênico em memória de Vilma Alves de Lima, assassinada em seu local de trabalho, o HR-MS, no dia 5 de janeiro deste ano.

Francisco Monzon Queiroz, funcionário do Hospital Regional e diretor do Sintss-MS, comandou a cerimônia religiosa e citou algumas passagens da bíblia, como forma de abordar a triste situação do caso, além de reconfortar as filhas e familiares de Vilma Lima, além dos servidores públicos que estiveram presentes durante a atividade.

Emocionada, Edna Lima Floriano (36), filha de Vilma Lima, participou do Ato Ecumênico e comentou sobre o evento para o site do SINTSS-MS, “sobre esta homenagem, eu acho que foi bom, tanto pela lembrança do pessoal com a minha mãe quanto pelo fato dos funcionários pedirem mais segurança no local, acho válido, a segurança é muito importante para os funcionários. Agora estamos vivendo um momento muito difícil para nós, para meus filhos”, disse.

#SomosTodosVilma 

Após o ato ecumênico, dirigentes sindicais e funcionários do HR-MS realizaram um ato que pediu segurança para os servidores públicos e usuários do SUS que acessam o Hospital Regional todos os dias.

Os sindicalistas afirmaram durante o ato que vão procurar o Ministério Público para fazerem uma denúncia sobre a precária situação de insegurança vivida no Hospital.

A direção do Sintss-MS, também alegou ter procurado por diversas vezes a direção do HR-MS, para tomarem providências sobre a segurança, mas que nada efetivo foi feito.

Segundo Alexandre Costa, Presidente do SINTSS-MS, “nós vamos acionar o Ministério Público, a insegurança no HR chegou a uma situação tão difícil que tiraram a vida de uma pessoa aqui, em meio ao seu trabalho. Chega de enrolação, há muito tempo estamos cobrando providências. O cara chegou aqui, assassinou nossa colega de trabalho e foi embora impunimente”, disse.

Eder de Lima, diretor do Sindicato também se pronunciou sobre o caso, “com certeza os funcionários e a população que usa o SUS aqui está totalmente desguarnecido de segurança, desde 2007 a polícia militar tinha membros da reserva aqui, mas foram retirados deste local, de lá para cá, buscamos por diversas vezes as direções do Hospital para tratar da segurança, mas até agora nada”, afirmou.

Vilma Alves de Lima (57) era funcionária administrativa do Hospital Regional, tinha mais de dez anos de carreira neste local. Foi assassinada no último dia 5 de janeiro, em frente ao HR-MS, durante seu expediente de trabalho, após abordagem de seu ex-marido que a chamou na recepção.

Funcionários do Hospital Regional defenderam a presença de policiais militares neste local, um posto da polícia civil, entre outras ações que contribuam para conferir mais segurança em seu ambiente de trabalho.

Até o ano de 2007, policiais militares da reserva trabalhavam nas dependências do Hospital Regional, funcionários afirmam que a presença dos PM´s no mínimo melhora a sensação de segurança naquele ambiente de trabalho.

Segundo o sindicalista Eder Rodrigues, só no ano de 2015 pelo ao menos 16 ocorrências de furtos foram registrados no estacionamento do Hospital Regional Rosa Pedrossian.

Ainda no final desta manhã (12) o Presidente do SINTSS-MS, entrou em contato com a direção do HR-MS, solicitando o agendamento de uma reunião para tratar do assunto da segurança.

Até o fechamento desta edição, a direção do HR-MS não informou a sugestão de data para a referida reunião.

Repercussão

A imprensa foi convidada para acompanhar o ato ecumênico, que foi alvo de matéria de jornais eletrônicos além de um programa de televisão.

Citamos aqui as matérias produzidas e seus respectivos links:

TopMidiaNews  – Manifestação

Após morte, funcionários do Hospital Regional fazem protesto por segurança

Dezenas de funcionários da unidade de saúde e as filhas da vítima fizeram uma manifestação na manhã desta terça-feira

Link – http://migre.me/sG34W 

Midiamax

Uma semana após assassinato, funcionários fazem culto e pedem mais segurança no HR

Servidores dizem que são ameaçados no hospital

Link: http://migre.me/sG36q

CampoGrandeNews

Sete dias após morte de colega, servidores cobram segurança no HR

Link  http://migre.me/sG3bk

 

Fonte: SINTSS-MS/escrito por: Sérgio Souza Júnior